terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Matéria da Semana - Bilhete Único, Caos Completo


Guarulhos é conhecida como a segunda maior cidade do estado de São Paulo. Sede do maior aeroporto internacional do País, via de conexão da maior rodovia interestadual, entrada para a cidade de São Paulo, Guarulhos deveria ser uma cidade com ares de metrópole. Deveria, mas sua administração, conhecida por investir em praças e calçadas, parece não compreender como uma cidade grande opera.
A última “incursão” de projeto que possa melhorar a cidade e evoluí-la foi a implantação do chamado Bilhete Único. O cartão é utilizado para que, uma pessoa que precise utilizar 2 conduções para chegar ao local desejado num período de 2 horas, gaste apenas 1 condução. No projeto, algo muito útil e vantajoso. Na prática, o caos.

Muitos apontam o defeito de que o sistema só funciona dentro da cidade, sendo que grande parte da população que utiliza 2 ônibus trabalham na cidade de São Paulo. E qual foi a solução encontrada então para que o cartão fosse útil? Foram alteradas TODAS as linhas para que todos os habitantes sejam obrigados a utilizar ao menos 2 ônibus para chegar a locais que ficam à 20, 30 minutos de seus lares ou trabalhos.
Para ficar claro o que aconteceu aos que não vivem na cidade. Imaginem que você pega o metrô na Estação A para chegar na Estação V. De A a V, você não faz baldeação, pois é uma linha só, que liga leste à oeste. Agora imagine que é decidido que você deverá descer na linha E para ir até a linha M, onde descerá novamente para ir até a linha V. Ou seja, mais trabalho, mais transtorno, para o mesmo destino.
O resultado? Se você antigamente levava 30 minutos para chegar, por exemplo, à Vila Galvão, agora você precisará descer no centro e pegar outro ônibus, levando aproximadamente 1 hora e 10. Os funcionários do Aeroporto, que antes tinham uma linha que passava pelo centro da cidade e outra que passava pelas principais avenidas (Tiradentes e Otávio Braga) foram canceladas. Só existem 2 linhas, e as 2 operam apenas do bairro do Cecap, ao lado do Aeroporto. Todos então são forçados a ir até o bairro para chegar ao trabalho. O problema é que poucas linhas operam até o Cecap, forçando o passageiro a pegar um terceiro ônibus.
E toda essa confusão aumenta pois não aumentou a frota de ônibus para esse aumento de linhas, o que resulta em ônibus abarrotados e pontos de ônibus lotados de cidadãos desinformados, perdidos, que ficam à beira do desespero para alcançar seus destinos.
Conversando com cerca de 30 pessoas em pontos diferentes, todos reclamavam e concordavam com o fato de que o Bilhete Único só beneficia empresas que pagarão 1 condução e a pessoa que se vire para chegar onde precisa. “Eu preciso sair de casa 16:30 para chegar no meu trabalho às 18:00, e moro à 20 minutos de carro dele!” reclamava Lídia, funcionária de um hotel. Diversos funcionários do aeroporto reclamaram do mesmo, agora levam mais de 1 hora para um trajeto de minutos.
O resultado do Caos? Muitas pessoas que utilizavam ônibus estão tirando os carros da garagem, gerando mais trânsito e atrasando ainda mais a vida daqueles que estão dentro de um dos 2 ou 3 ônibus que devem pegar. Ao menos pagarão 1 condução só, isso se fizeram cadastro no sistema, senão, gastarão R$8,70 reais onde outrora gastavam R$2,65 (agora R$2,90). E o que esperar? De 2 uma, ou como de costume, a população se acostuma com o ruim e o ruim fica, ou atitudes deverão ser tomadas. Urgentemente.

4 comentários:

chris_benassi disse...

Nossa, perfeito Gama, é isso mesmo.
Achei toda a situação humilhante.
Onibus abarrotados, idosos e mães com crianças pequenas se apertando nos ônibus, algo precisa ser feito!

Raaquel disse...

Adorei Rafa...
mas sabe o que vai acontecer, a populacao vai acostumar com o "caos" que vai passar a ser "normal" e mais pra frente tera coisas piores..
e assim nossa vida cada vez piora e a gente se acostuma! Isso e Guarulhos!

Anônimo disse...

Concordo e vivo c/ tudo isso. O que a população pode fazer para mudar essa situação? Porque se nós não nos organizarmos para mudar isso nada será feito.

Anônimo disse...

Raphael Gama, concordo plenamente com você. E se a população não tomar nenhuma providência, simplesmente, não poderá reclamar de nada, apenas, viver nessa palhaçada.
Por isso, que já comecei... aqui no meu bairro, estamos fazendo um abaixo assinado, pois, do jeito que tá, não dá pra ficar. Não podemos aceitar isso. Não mesmo.